quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Capítulo 21 (Último Capítulo)

Vanessa já estava na casa de Ashley há uma semana. Mal saía do quarto, os olhos vermelhos de tanto chorar, tornando-se visivelmente mais magra a cada dia.
Ashley se sentou na beirada da cama, parecendo preocupada.
— Vamos, Vanessa. Não pode continuar assim. Procure por ele e diga o que sente. Vi no jornal de ontem que ele está na cidade.
— Não posso — Vanessa soluçou.
— Pode sim — a amiga insistiu. — Você o ama. Ele precisa saber.
— Ele me odeia.
— Como pode saber? As coisas podem ter mudado. Talvez uma boa dose de Stella o tenha recolocado nos eixos. Quem sabe?
Vanessa esfregou os olhos.
— A culpa é minha por não ter contado a verdade desde o começo. Ele tinha todo o direito de ficar zangado. Casou-se com a mulher errada.
— Que tolice! Ele casou com a mulher certa, se quer saber. Você é leal, fiel, prefere sofrer a magoar alguém. O que mais um homem poderia pedir?
O queixo de Vanessa tremia.
— Eu só queria me desculpar. -  Ashley se levantou.
— Então faça isso. — Estendeu o telefone da mesinha de cabeceira para Vanessa. — Ligue para ele. - Vanessa encarou o telefone por um bom tempo.
— Vamos! — Ashley insistiu. — Diga o número e eu disco para você.
Vanessa pegou o telefone.
— Não... não. Eu ligo.
— Boa menina. — Ashley exibiu um sorriso encorajador. — Vou deixá-la sozinha. Boa sorte.
Embora só tivesse dito que ligaria para que a amiga parasse de insistir, Vanessa ficou surpresa ao notar que já tinha discado quase todos os números. Respirou fundo e discou os três últimos.
— Vanessa? — Lúcia atendeu no segundo toque. — Diol Onde você está? Ficamos preocupados! Lynda não dorme e Zac...
— Ela está bem? — Vanessa perguntou.
— Sente falta da mãe.
— Onde está Stella?  - Lúcia bufou.
— Não daquela mãe... de você. Sua irmã pegou o dinheiro e foi embora.
— Que dinheiro?
— O dinheiro que ela pediu por Lynda — Lúcia informou.
Vanessa fechou os olhos.
— E... Zac? Como... como ele está?
— Zangado.
— Eu sei. — Vanessa mordeu o lábio. — Não o culpo.
— Onde você está? Ele quer vê-la.
— Ele disse que não queria me ver nunca mais.
— Isso foi antes. Apareça aqui esta noite. Levo Lynda para minha casa e vocês podem resolver as coisas sossegados.
— Não sei se há o que resolver.
— Apenas volte para casa, Vanessa. Este é o seu lugar.
Vanessa estava sentada na beirada do sofá na casa de Zac quando ouviu o barulho do carro. Tinha passado uma hora com Lynda antes que Lucia a levasse para casa.
Ouviu Zac praguejando ao entrar em casa. Levantou-se, apertando as mãos, os olhos hesitantes.
Zac parou ao vê-la, a cor desaparecendo do rosto, como se tivesse levado o maior susto de sua vida.
— Vanessa? — Ele deu um passo adiante. — É você?
— Sim, sou eu.
— Não tive certeza... — Passou a mão pelos cabelos, deixando-os ainda mais bagunçados. — Pensei que fosse sua irmã. Ela ligou hoje, pedindo mais dinheiro.
— E o que você disse?
Zac lhe deu uma breve olhada antes de responder.
— Não posso dizer muita coisa enquanto não tiver os papéis de adoção.
— Então ela o deixou adotar Lynda?
— Por um bom preço, claro.
— Claro.
Zac buscou o olhar dela novamente, a expressão indecifrável.
— Por que está aqui?
— Queria ver Lynda.
— Só isso?
— Não. — Ela meneou a cabeça. — Queria ver você.
— Por quê? — Havia um tom de acusação, como se ele pensasse que ela também só estava interessada em dinheiro.
— Queria pedir desculpas pelo que fiz. Pensei estar fazendo o melhor por Lynda, mas... Agora percebo o quanto estava errada. Pensei que você a tomaria de mim, mas agora sei que não é o homem severo que finge ser. Você é... — Vanessa segurou um soluço. — É o homem mais maravilhoso que já conheci.
— E você é a melhor mãe que Lynda poderia ter — ele disse, a voz rouca de emoção. — Foi errado falar com você daquela maneira. Eu estava zangado por ter sido enganado. Não parei para pensar nos sacrifícios que fez para proteger Lynda de Stella.
— D-do que está falando?
A boca de Zac ameaçou um sorriso.
— Você se entregou para mim. Não sabia o que você estava fazendo naquela hora. Simplesmente pensei que teve dificuldades ao dar à luz, nunca imaginaria que fosse virgem.
O rubor tomou o rosto de Vanessa, que desviou o olhar.
— Não. — Ele se aproximou e a segurou pelos ombros. — Não continue escondendo a verdade. Você se entregou para mim e quero saber por quê.
— Eu... não consegui evitar. Nunca tinha me sentido daquele jeito antes. — Ergueu novamente os olhos. — Acho que me apaixonei por você logo naquele primeiro dia, quando pegou Lynda no colo com lágrimas em seus olhos. Estava sofrendo pela morte do irmão, mas ainda tinha um espaço para Lynda em seu coração. E estava disposto a protegê-la. Eu sentia o mesmo. Não pude deixar de pensar que éramos parecidos. Foi impossível não me apaixonar.
Zac engoliu em seco, escondendo o rosto no ombro dela.
— Eu a tratei tão mal. Como pode me amar? Vanessa percebeu que ele chorava, então o abraçou forte.
— Não sei a razão. Apenas amo. Ele ergueu o rosto, a expressão sofrida.
— Não acredito que estou ouvindo isso. Então me perdoa pelas coisas que eu disse?
— Você estava zangado.
—Mais do que zangado. Estava magoado. Imaginava você rindo de mim por me ter feito de bobo.
Ela o encarou com ar indagador.
— Pensei que ninguém fosse capaz de magoá-lo.
Ele sorriu.
— Você não é a única que sabe contar mentiras, sabia? Claro que eu estava magoado. Apesar do que eu acreditava a seu respeito, acabei me apaixonando. Queria acreditar que você era incapaz de ter feito o que fez ao meu irmão, mas sempre me deixava confuso quando agia como Stella.
— E mesmo assim se apaixonou por mim? Ele a abraçou mais forte.
— Como não poderia? Você sempre foi tão amorosa com Lynda, sempre correspondia a mim com avidez. Pensava em você dia e noite, mesmo me odiando por minha fraqueza, mas era impossível não querer tocá-la.
Vanessa suspirou de encontro ao peito dele.
— Não acredito que me ama. - Zac lhe acariciava os cabelos.
— Pois é melhor acreditar. Tenho procurado por você feito louco nos últimos dias. Não tenho dormido nem comido.
Vanessa sorriu.
— Nem eu. Senti tanto a sua falta.  - Zac a fitou com seriedade.
— Eu ficava acordado de noite, pensando nas vezes em que a insultei. Sabe o quanto me torturei com isso? Você é uma pessoa linda, de natureza gentil e amável, e sua timidez é encantadora. Fui um idiota por não ter percebido nada. Acho que teria percebido se eu não estivesse tão aflito com as exigências de meu pai, que queria Lynda a qualquer custo. Ele estava morrendo, eu não tinha muito tempo, faria qualquer coisa para lhe satisfazer o último desejo.
Vanessa acariciou o rosto dele, os olhos úmidos de lágrimas.
— Não seja tão duro consigo mesmo. Fui eu que agi errado. Deveria ter desfeito o mal-entendido logo que entrou no meu apartamento. Acabei agindo por impulso e, quando percebi, já era tarde demais.
— Eu a forcei a isso — ele lamentou. — Só agora vejo. Só queria provar que era a mulherzinha oportunista que eu imaginava que fosse. Não dei espaço para explicações.
— Mas agora já acabou. Temos um ao outro, e temos Lynda.
— Mas você perdeu tantas coisas. — Zac estava sério novamente. — Não se casou na igreja, por exemplo, nem teve uma lua-de-mel. Não sei como, mas pretendo reparar tudo isso.
Vanessa exibiu um grande sorriso.
— Não me importo muito com o casamento, mas quero uma lua-de-mel. Quando poderemos ter uma?
Zac sorria ao erguê-la nos braços.
— Que tal agora?
Zac levou Vanessa para conhecer diversas cidades, passaram por Londres, Paris, Veneza e Milão, Lynda ficou aos cuidados de Lúcia, enquanto o casal fazia sua viagem.
Todos os dias, enquanto viajavam, Zac e Vanessa ligava para saber notícias da menina.
Quando Lynda já tinha quase seus 2 anos, no aniversário Zac, Vanessa lhe preparou uma surpresa, com ajuda de Lúcia, preparou um jantar especial para eles e Lynda.
No jantar, Vanessa entregou um pacote a Lynda e está que sabia o que fazer correu até Zac e lhe entregou o presente.
— O que é isso? - questionou Zac
— Abra e você saberá. - respondeu Vanessa
Ao abrir o pacote, Zac se deparou com um par de sapatinhos lã branco e um cartão escrito:
Parabéns! Meu amor.
— Não sei ainda se é um menininho ou uma menininha, por isso optei pelo branco. - Vanessa disse com um grande sorriso em seu rosto
— Eu vou ser pai?? É isso!? - com lágrimas nos olhos de tanta emoção
Vanessa assentiu. Zac na mesma hora levantou-se da mesa e deu um grande beijo em sua esposa.
Lynda vendo a alegria de seus pais, começou a dar gargalhadas e bater palmas. Zac pegou-a no colo na mesma hora.
— Nossa família está crescendo... - comentou Zac ainda emocionado
Vanessa assentiu e ainda completou — E seremos muito felizes!!

FIM



Olá pessoal!!
Aqui está o último capítulo pra vocês... 
Obrigada pelos comentários meninas!!! Espero vocês na próxima fic okay!?
E com 62% dos votos a próxima fic será Recomeçando através do Amor
e vocês já podem ver a sinopse da história que promete!!!
Postarei o primeiro capítulo será postado no domingo (14/12)!! 
Então beijoos e até domingo, dia que promete, na próxima fic!!!

3 comentários:

  1. Meu Deus,esse final n poderia ser outro
    Lindos,lindos e lindos
    Amei
    Essa fic vai ficar p história mkkk

    ResponderExcluir
  2. ownt que capítulo mais que perfeito *-*
    eu amei,tá super lindo e fofo ♥♥♥
    parabéns pela fic,foi maravilhosa :)

    ResponderExcluir
  3. Que final lindo!
    Mas o que aconteceu com a Stella no final? Ficou com o dinheiro e sumiu de vez?
    Beijos.

    ResponderExcluir